Suporte básico de vida e desfibrilhação automática externa

A doença cardiovascular assume uma liderança destacada no mundo ocidental na morbilidade e mortalidade das populações. A morte súbita é muitas vezes a primeira manifestação dessa doença. 

A fibrilhação ventricular é o mecanismo mais frequente da paragem cardiorrespiratória (PCR) de origem cardíaca e o seu único tratamento eficaz é a desfibrilhação elétrica. A probabilidade de sobrevivência é tanto maior quanto menor o tempo decorrido entre a fibrilhação e a desfibrilhação. Sendo que a rápida desfibrilhação enquanto objetivo é difícil de atingir se efetuada apenas por médicos, já que a PCR ocorre na maioria das vezes em ambiente pré-hospitalar, recomenda-se que profissionais não médicos sejam treinados e autorizados a utilizar desfibrilhadores desde que a sua atuação seja enquadrada em Programas de DAE com controlo e auditoria médica qualificada. Só assim se conseguirá a conjugação de esforços que tornam a desfibrilhação um meio para atingir um objetivo último de melhoria da sobrevida após PCR de origem cardíaca. Nesse sentido, e com intenção de promover a utilização de Desfibrilhadores Automáticos Externos (DAE) em locais públicos ou em veículos de emergência, organizou-se esta ação que visa formar operacionais de Desfibrilhação Automática Externa.

Adquirir competências que lhe permitam realizar corretamente manobras de SBV com utilização de um Desfibrilhador Automático Externo (DAE), numa vítima em paragem cardiorrespiratória.

• Compreender o conceito de cadeia de sobrevivência e conhecer os seus elos;
• Identificar os riscos potenciais quer para a vítima quer para o reanimador;
• Compreender o conceito de suporte básico de vida e descrever os procedimentos corretos para executar manobras de suporte básico de vida;
• Saber como e quando iniciar e parar as manobras de suporte básico de vida;
• Saber como e quando colocar uma vítima em posição lateral de segurança;
• Saber identificar as situações de obstrução da via aérea por corpo estranho e realizar as manobras de desobstrução.

3

Min – 4

Max – 6

Profissionais de saúde e leigos

Não aplicável

15 Minutos – Apresentação e Objetivos do Curso
15 Minutos – Suporte Básico de Vida
60 Minutos – Banca Prática I: SBV (4 passos) + PLS + OVA
30 Minutos – Workshop: Comandos do DAE e Colocação de Elétrodos
15 Minutos – Desfibrilhação Automática Externa
15 Minutos – Demonstração do Algoritmo de SBV-DAE
45 Minutos – Banca Prática II: SBV-DAE – Sucesso Imediato
45 Minutos – Banca Prática III: SBV-DAE – Choque não Recomendado
45 Minutos – Banca Prática IV: SBV-DAE – Insucesso
45 Minutos – Banca Prática V: SBV-DAE – Sucesso Tardio
15 Minutos – Situações Especiais com o DAE
15 Minutos – Avaliação e Encerramento do Curso

Sessões teóricas
Sessões práticas, a relação formador formando é de 1/6 no máximo.

Avaliação Prática Continua

Para ficar aprovado terá o formando que obter classificação igual ou superior a 10 valores

5 anos

No final do curso serão emitidos:

• Certificado comprovativo de que o formando completou o curso com aproveitamento, mencionando a nota final obtida;
• O formando que não obtenha aproveitamento poderá solicitar à entidade uma declaração de frequência do curso, com indicação das horas em que esteve presente.
Nota: A certificação como operacional é feita pelo programa de DAE em que o formando estiver integrado.

15 min Apresentação e Objetivos do Curso
15 min Suporte Básico de Vida Adulto
60 min Banca Prática I: SBV (4 passos) + PLS + OVA
30 min Workshop: Comandos do DAE e Colocação de Elétrodos
15 min Desfibrilhação Automática Externa
15 min Demonstração do Algoritmo de SBV-DAE
45 min Banca Prática II: SBV-DAE – Sucesso Imediato
45 min Banca Prática III: SBV-DAE – Choque não Recomendado (com dois reanimadores)
45 min Banca Prática IV: SBV-DAE – Insucesso
45 min Banca Prática V: SBV-DAE – Sucesso Tardio
15 min Situações Especiais com o DAE
15 min Avaliação e Encerramento do Curso

Translate »